sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Os piores erros dos cantores evangélicos.

Como músico percebo muito a qualidade dos músicos da igreja, a melodia, a linha de baixo, o riff da guitarra e etc... Sendo assim, também não poderia deixar passar em branco o trabalho dos vocalistas. Enumero aqui alguns problemas com os cantores brasileiros à título de aprimoramento, uma critica construtiva.

Um dos erros mais comuns é a influência. Influência não significa plágio. Influencia é quando um músico admira um outro músico e começa a
compor, cantar ou tocar "na linha" do admirado. Aqui, o que vemos é plágio. Todo homem canta igual ao André Valadão, Alex Gonzaga ou Kleber Lucas e toda mulher igual a Ana Paula Valadão, Cassiane ou Aline Barros. É desgastante ouvir plágio.O mundo evangélico precisa de originalidade. Tenha suas influencias, mas cultive seu próprio estilo.

Outro erro muito comum é a postura. A maioria dos cantores evangélicos se comportam como artistas e não como servos. A postura é a de um ídolo e não de um irmão que recebeu um talento. Isso é decisivo para a comunicação do Evangelho através da música. A forma como você conduz seu ministério contagia ou afasta pessoas de Cristo.

Achar que barulho é sinal de relevância. Alguns cantores acham que incitando o povo a fazer barulho, levando-os a histeria coletiva estarão promovendo um mover de Deus. Isso não é verdade. Barulho não é sinal de relevância. Nosso culto precisa ser racional, isso é, lógico. Precisa ser inteligível. A gritaria é extravasar de emoção e não sinal de espiritualidade.

Tratar irmãos e irmãs como fãs. Cantor evangélico não pode alimentar idolatria nas pessoas, mas precisa ser exemplo de simplicidade e serviço. Hoje, as notícias que temos são as piores. cantores que saem do "show" e rumam pro motel com suas fãs, cantores que esnobam as pessoas que querem conversar com eles e por aí à fora.

O erro clássico do cantor evangélico é negociar seu talento. Em nome da fama e do dinheiro ele deixa a gravadora mexer na essência de sua composição e até ditar a composição que ele deve gravar. Alguns chamam isso de profissionalismo, eu chamo de falta de personalidade. Além disso cobram cachês astronômicos para ministrar. Na minha igreja não tem vez... Se quiser, expõe o CD e o que vender, vendeu.

Pois é, esses são apenas alguns dos erros mais comuns entre os cantores evangélicos, existem muitos outros, mas resolvi expôr apenas esses. Se qusier saber mais sobre como orientar e treinar seus músicos, convide para ministrar o seminário "Músicos sem música"

E no mais, tudo na mais santa paz!

30 comentários:

  1. Bom dia,
    Excelente texto e infelizmente não é nada a mais do que nós, ou melhor eu aqui, como levita do Senhor não saiba... Mas o que me chamou bastante a atenção, talvez por ser um argumento novo nos textos sobre o assunto, pelo menos pra mim, é a questão da falta de criatividade.

    Vejamos, se todos copiam o André Valadão no seu jeito de ser e o André Valadão copia ou traduz algumas músicas do exterior que muda o seu jeito de cantar chegamos a conclusão que o cenário da música cristã brasileira não é nada mais do que um mercado para as grandes gravadoras sem espiritualidade. O mesmo acontece com o Fernandinho com relação ao grande boom da carreira dele com o útimo cd que tinha inúmeras músicas traduzidas para o português de outros ministérios do exterior. Com as mulheres é pior ainda a situação: Todas que foram chamadas para o ministério de louvor pensam logo nas referencias que foram dadas trabalhando árduamente para que um dia faça algum sucesso caminhando de igreja a igreja divulgando o seu trabalho.

    LEVITAS DO SENHOR, PAREM COM A HIPOCRISIA.
    Se DEUS nos deu este dom, vamos criar, vamos ser, vamos FAZER.
    nada vem sem o trabalho... é só pensar um pouco e com a ajuda do nosso PAI nós conquistaremos logo a promessa que foi dada sobre a nossa nação há algum tempo atrás.
    O BRASIL SERÁ EXPORTADOR DE ALEGRIA, DE MÚSICA E ADORAÇÃO. SEREMOS O ÍNICIO DO PRÓXIMO AVIVAMENTO. ALELUIA!!!

    acho que é isso,
    fdiaspp@gmail.com
    http://www.diaahs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao existem mais levitas. Jesus era descendente de judá, e sacerdote da ordem de melquisedeque (hb cap.7).

      Excluir
  2. Dias, eu creio na sua profecia... mas precisa antes de um despertamento sabe, pra galera enxergar que é possível criar!

    ResponderExcluir
  3. Algumas coisas que os levitas das nossas igreja se esquecem:

    - de circuncidar o prepúcio;
    - dss maldições destinadas à Israel explícitas em Deuteronômio 28 do versículo 15 em diante;
    - raspar os pelos do corpo como esclarece Números 8:7;
    - que abandonem as suas casas e se mudem para as cidades determinadas (Nm 35:2) em Israel [se ainda existirem]

    Eu prefiro continuar sendo músico de igreja...

    Abraços
    Fernando
    twitter.com/fesorepe

    ResponderExcluir
  4. Fernando, prefiro continuar sendo músico tb (2)

    ResponderExcluir
  5. Quero ver qualquer um desses cantores por aí irem para uma praça num domingo a tarde sozinho com um violão cantar louvores que falam da Crucificação e do amor de Deus pela humanidade.

    Os Levitas iam na linha de frente nas guerras... e hoje?
    A guerra espiritual exige espiritualidade, compromisso, humildade, e principalmente amor.
    E sempre, o que importa é que Ele cresça e nós diminuamos.

    Se tratando do evangelho e do meu relacionamento com Deus, eu quero ser adoradora e propagadora do Evangelho, não artista.

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Realmente estamos passando por momento ruim com a musica gospel nacional.
    Os artistas que ja tem algum sucesso parece não ter conceguido acompanhar a evolução rápida que tivemos nesses ultimos anos, e então o jeito foi copiar artistas internacionais, e a copia foi tão grande que decidiram tocar as musicas desses artistas...Isso me incomoda muito pois a cultura de outros paises são totalmente diferente da nossa e não quer dizer que a musica que fez sucesso la faça aqui tbm

    Um outro erro que tbm vejo é o fato dos artistas fazerem musicas para os ''crentes'', fica aquele negócio meio de crente para crente entende?
    E a prioridade devia ser o não cristão

    E pq eles não conseguem escrever sobre política, amizade, família, amor, críticas...sem ser voltado ao cliche de hj em dia que é a ''adoração''

    Desculpe aos que curtem isso mas vou dizer que letras assim são bem faceis de se escrever...superficiais e repetitivas.

    Eu ia escrever mais, mas acho que ninguem iria ler só pelo tamanho do texto xD

    ResponderExcluir
  7. Gostei do seu artigo, qualquer dia me chame pra cantar na sua igreja!! Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Caracca meu brother, que texto interesante!

    Meu... eu vejo da mesma forma, a musica cristã anda meio sem criatividade realmente, não é geral, ainda tem gente ae no meio que consegue fazer coisa boa e que adora de verdade quem merece ser adorado. Sou musico de igreja tb e quando preciso escolher uma usica nova para ensinar na igreja é uma dificuldade tremenda, as vezes preciso ouvir 80 musicas para escolher uma, a falta de profundidade bíblica contribue muito para isso. Sem falar no egocentrismo das letras, é tudo "Eu quero" "Eu determino" "Eu" eu eu eu eu eu... e onde está Deus?

    Me interesei d+ por este texto, gostaria de publicá-lo no www.cabecajovem.com

    Quero começar a planejar um econtro aqui na minha terra e trazê-lo para falar do assunto, vamos orando ae... quem dabe rola né!

    ResponderExcluir
  9. Os crentes precisam ser mais críticos.
    E concordo com você, UMP-A TM, pois as pessoas só querem receber. "EU QUERO, EU PRECISO..." e os que escutam só querem ouvir: "EU PROFETIZO, EU DETERMINO..."

    Faltam mesmo letras que falam da sociedade, que fazem as pessoas refletir e há pouco embasamento bíblico.

    Já perceberam?
    Teve a época do "FAZ CHOVER", aí vem a época do "DO OUTRO LADO DO RIO; O MAR VAI SE ABRIR...". Depois vem "TOQUE AGORA NO ALTAR..."

    Ahhh, tanto bordão e repetição, que pelo amor!!

    ResponderExcluir
  10. Acho que deveríamos voltar a nossa atenção à adoração, em vez de "perceber muito a qualidade dos músicos da igreja, a melodia, a linha de baixo, o riff da guitarra e etc...".

    ResponderExcluir
  11. Pastor! Não tem nada o que acrescentar, o senhor falou tudo, infelizmente isso também abrange a linha dos pregadores, que na verdade está na maioria das vezes uma "aberração" estão confundindo totalmente a essência do verdadeiro Evangelho. Pastores como o senhor, teriam que orientar suas ovelhas pra que esses "artistas" que mais parecem semi-deuses, desapareçam do nosso meio, ou mudem sua maneira de comportamento.
    Mas fico feliz por ainda existir pessoas que estão interessados em desmascarar estes comportamentos, é tempo de anunciar a volta de Jesus e não querer adquirir fama sobre os nossos próprios irmão.
    Abs e Deus abençoe e gostaria que o senhor seguisse meu blog tambem. Paz!!!!
    Ozéias G. Faville.

    ResponderExcluir
  12. Adorei o post.
    Se as coisas continuarem no pé que estão, j´já vai ter Aline Barros cover, Oficina G3 cover e Bispa Sonia Hernandes cover!

    Abçs

    ResponderExcluir
  13. Pra inspirar um pouco:

    http://www.youtube.com/watch?v=2oEFA2ppd_k

    ResponderExcluir
  14. Danilo meu mano cabeça jovem... to a disposição, e pode postar o que quiser lá no cabeça...

    ResponderExcluir
  15. Edu, adorar sem excelência é pseud adoração. Quem adora deve adorar com o melhor...

    ResponderExcluir
  16. A Paz do Senhor.

    Primeiro, muito obrigado pela mensagem pregada na SIB Macaé. Deus te usou para falar-nos profundamente naquela noite.
    Quanto aos cantores, vamos combinar uma coisa: Esse pessoal não pode ser classificado como evangélico. Vamos classificar como "gospel", pois falta de tudo nesse povo: Conteúdo, personalidade e compromisso com a Verdade. E ser "gospel" é desconhecer a Bíblia, estar na moda, de bem com o mundo e aparentar um estilo cristão, mas sem conteúdo e compromisso.

    ResponderExcluir
  17. Jonis, isso é gentileza sua cara! Quando o Daniel quiser, eu to lá!

    ResponderExcluir
  18. Nossa..texto distorcido e comentarios idiotas...nao sabem nada sobre a profissão do musico..querem opinar mais nem do meio ces são...#Lamentavel

    ResponderExcluir
  19. sou profissional de música queridão. por isso, escrevo com propriedade e não de orelhada. O único que discorda desse texto distorcido e dos coments idotas é o sabichão do "brau brau" é mole?
    #lamentavel

    ResponderExcluir
  20. Por essas e por outras eu nao ouço mais musica evangelica...

    ResponderExcluir
  21. Olá
    Paz do Senhor!
    Visitem nosso site!

    http://www.institutogamaliel.com

    Que o Senhor Jesus vos abençoe abundantemente!

    ResponderExcluir
  22. A paz querido! Por coincidência, obra de Deus... não sei, encontrei essa mensagem. Estava fazendo uma pesquisa, e apareceu seu link, então cliquei. Achei muito interessante sua postagem. Sou cantora e adoradora do Senhor Jesus, e frizo sempre no meu blog que não quero ser idolatrada, pois meu objetivo é fazer a obra de Deus. Parabéns pela postagem, e se puder visite meu blog: www.cantoraandreaandrade.blogspot.com, ou do contrário clique nos links abaixo, com as postagens que fiz sobre JESUS É EM PRIMEIRO LUGAR e NÃO QUERO SER IDOLATRADA!

    http://cantoraandreaandrade.blogspot.com/2011/03/jesus-e-em-primeiro-lugar.html

    http://cantoraandreaandrade.blogspot.com/2011/12/nao-quero-ser-idolatrada.html

    Um grande abraço!!
    Fique na paz.

    ResponderExcluir
  23. Bom , agora o ícone é o Thalles Roberto, que a maioria diz que ele está trazendo algo novo e tal, mas ele só tá fazendo um soul gospel que é algo muito parecido com o que o Kleber Lucas já fez em algumas músicas dele, mas o Thalles além de tudo é um "entretainer". E isso é o lado ruim da coisa, as músicas gospel viraram entretenimento. Acho que pra começar podiam parar com essa divisão besta de música secular e música gospel, afinal de contas música é música, parece que a pessoa quando se "converte" tem que ir para um outro universo, como se nós, meros mortais, fossemos capazes de criar um novo universo aqui na Terra, uma Israel Celestial do chão. O que você tem que fazer é se alimente das boas músicas para ficarem guardadas no seu coração e depois sua boca não vai fazer diferente, isso é ser influenciado.
    Tem tanta coisa esquisita nisso, que é difícil falar em poucas palavras, mas acho que esse é o ponto chave, não separe música gospel e música secular, separe músicas que te trazem coisas boas e que te trazem coisas ruins e pronto, mas adore o Deus vivo, não as músicas e os músicos.

    ResponderExcluir
  24. Oi gente,
    Tenho a sensação de estar cada dia mais difícil essa coisa toda de Ministrar, música na igreja,louvor, adoração, estilo, autenticidade, influências, copiar ou não copiar...Mas uma coisa eu sei e tenho certeza de que todos devem concordar: Na busca pela Presença de Deus, ouvir o Seu coração,Ele mesmo nos ensinará o caminho da adoração que Ele é dígno de receber. seja ela em música ou em qq outra forma em nossa vida que devemos entregar.Busquem tua identidade diante Dele, pois de glória em Gloria somos tranformados...Diante Dele !

    ResponderExcluir
  25. Gostei muito da abordagem...
    Ainda quero aprofundar mais a concepção (superficial e errônea, diga-se de passagem) dos termos "levita" e "ministro" ou o verbo "ministrar", para tal ambiente!

    ResponderExcluir
  26. Muitas das vezes eu vejo isso, cantores que até fazem um Sinal baixando a cabeça, abre talvez os dois braços talvez querendo contemplar o público.

    ResponderExcluir

Daqui pra frente só posta quem se identificar, os anônimos serão moderados. Quem quiser expressar opinião tem que bancar e mostrar a cara. Outra coisa, você tem o direito de se expressar, mas se houver agressão, o comentário será deletado.