sábado, 16 de março de 2013

Papa Francisco I, solução ou problema?


Tomou posse o novo papa, assumiu a alcunha de Francisco I, talvez uma alusão a vida de Francisco de Assis. Porém, o papa portenho é jesuíta. Parece confuso? Parece, mas não é! O novo papa é um homem versátil e que sempre zelou pela causa dos menos favorecidos, o que lhe dá autoridade de mesmo sendo da companhia de Jesus escolheu um nome franciscano para seu pontificado.

Me causa estranheza que a cúria romana tenha aceito um ítalo-portenho no comando da igreja. Porém, pasmem irmãos protestantes, isso pode ser um sinal de Deus para uma possível mudança nos rumos do catolicismo.

Bergoglio tem um longo caminho pela frente ao que parece e se colocar em prática seus valores enquanto arcebispo de Buenos Aires, o Vaticano jamais será o mesmo. Conhecido por abdicar da limousine com motorista que sua paróquia lhe oferecia para andar de transporte público, por cozinhar sua própria comida, por viver em um apartamento simples ao invés de usar os aposentos de sua igreja, fez uma revolução na visão da igreja em relação aos pobres chegando a ter atritos com os Kischner.

Sua primeira aparição enquanto papa me marcou pela humildade quando pediu que o povo orasse por ele antes que suas atividades iniciassem. Sua última declaração por enquanto me fez otimista mais uma vez, Bergoglio declarou que quer uma igreja pobre, para os pobres. Seria uma solução para grande parte dos problemas que o Vaticano sempre pode solucionar mas fazia corpo mole, mas creio que será um problema para a toda poderosa Cúria. Vamos esperar!

E no mais, tudo na mais santa paz!  

3 comentários:

  1. É bom lembrar que alguns detalhes que precisam ficar claros: Primeiro, este papa é jesuíta. Esta foi a ordem católica que nasceu para combater a Reforma Protestante. É tradição deles terem pele de cordeiro e coração de lobo. Segundo, para ser coerente com sua realidade religiosa, este papa deveria se chamar Inácio, numa referência a Inácio de Loyola (que foi um dos criadores da idéia de que os fins justicam os meios) e não Francisco, numa referência à piedosa ordem de Francisco de Assis. Terceiro, enquanto houver evangélicos que convertem qualquer um que pronuncia o nome de Jesus em sua fala, estaremos sempre vendo os títulos religiosos substituindo a fé que transforma pecadores em filhos de Deus.Um outro detalhe sobre Inácio de Loyola: foi ele quem fundou a Companhia de Jesus(jesuítas). Vejo uma estratégia para aguar a nossa mensagem de que Jesus é o único Salvador. Os católicos nos consideram "os irmãos afastados" desde o Concílio Vaticano II (se não me equivoco). O intuito deles é se aproximarem da gente visando nos fazer retornar a Roma. Estão criando muita expectativa e fazendo muita pressão sobre ele, esperando que ele realize 'reformas" na ICAR. Sinceramente, não acredito que ele deseje ser um "novo" Lutero. Dessa forma, reformas de fato não ocorrerão.

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto... Bem humilde, esclarecedor e sem fanatismo... Que o Senhor te ilumine muito pastor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo coment Ana! Deus abençoe sua vida!

      Excluir

Daqui pra frente só posta quem se identificar, os anônimos serão moderados. Quem quiser expressar opinião tem que bancar e mostrar a cara. Outra coisa, você tem o direito de se expressar, mas se houver agressão, o comentário será deletado.