quarta-feira, 1 de julho de 2009

Cap 7 - Os imortais


Existe uma classe de pessoas que aconteça o que acontecer, não se vê morta, nem imagina que vai morrer e não tem crises em relação a esse assunto.

São os adolescentes. Outro dia estive falando para um grupo sobre as drogas e sobre sexo, apesar de algumas perguntas mais sérias, o resto não passou de uma grande brincadeira. Isso porque a crença de que a morte não chegará nessa faixa etária é muito firme.

Os testemunhos que ouvimos por aí, é de gente que usou e abusou de drogas mas sobreviveu, é de pessoas que experimentaram acidentes terríveis e escaparam, que estiveram doentes e se recuperaram. Mas a grande questão é que adolescentes também morrem, basta olhar para a realidade das favelas do Rio de Janeiro, ou para os japoneses que vivem sob tamanha pressão que o suicídio tem sido a saída mais comum para que as lutas e a competição cesse.

A “curva” que o dependente quimico fez com sucesso é minoria na estatística, para cada 10 que conseguem escapar, 1000 se afundam nas drogas e jamais se recuperam. O número de adolescentes que morrem em acidentes é absurdamente alto por conta da inconsequência da idade que os leva a colisões catastróficas pelo abuso de velocidade e uso de álcool.

Me faz bem ver a força da adolescência, a disposição, a ousadia, mas nada disso vale a pena se não for bem direcionado. É como um carro que possui um motor potentíssimo, mas que está sem rumo. Muita força e nenhuma direção. Se esse automóvel está desgovernado, sua potencia somente o prejudicará mais na hora que colidir.

6 comentários:

  1. Ótima postagem. Os jovens de hoje têm resgatar o hábito de sonhar.

    ResponderExcluir
  2. Aos 15/20 anos somos incendiários, e a partir dos 30 começamos a virar bombeiros, porém nessa transição muitos se suicidam indiretamente mergulhados nesses prazeres artificiais, alegrias ilusorias, a procura do preencimento de um vazio à existencia no planeta onde muitas vidas se anulam, na Noruega o indice de criminalidade é praticamente nulo, poderiamos dizer que é o paraiso, porém o numero de suicidio é enorme, estamos a deriva, num vácuo enquanto não estamos em JESUS, temos que agir em prol de uma juventude saudavel.

    ResponderExcluir
  3. vida sem Jesus é sinônimo de morte... seja ela espiritual ou física...

    ResponderExcluir
  4. Nós passamos por isso Pastor Marcio, primeiro nossos pais eram os hérois, depois eles eram os caretas, não sabem de nada, e mais tarde aquela reflexão "é, meus pais tinham razão. Minha filha está com 9 anos e eu oro ao Senhor todos os dias pela sua vida, e também ensino o caminho e pego na sua mão.

    ResponderExcluir
  5. a desvalorização dos valores cristãos é uma das características de uma geração de adolescentes abandonada pelos pais

    ResponderExcluir
  6. Pois é, "Muita força e nenhuma direção." Ou tomando a direção pelos atalhos da morte dos sonhos,da ética e do vigor revolucionário. Nossa juventude foi contaminada pelo "vírus" do materialismo e da superficialidade; quase mortos em vida.

    ResponderExcluir

Daqui pra frente só posta quem se identificar, os anônimos serão moderados. Quem quiser expressar opinião tem que bancar e mostrar a cara. Outra coisa, você tem o direito de se expressar, mas se houver agressão, o comentário será deletado.